ANO II

Março - Abril / 2002
Nº 10

Editorial
Esta edição de Klepsidra tem uma importância muito especial para todos nós que a escrevemos. Depois de seis meses, finalmente colocamos uma nova edição da revista no ar, fato que nos incomodou bastante. Foram inúmeros os problemas que levaram-nos a atrasar em tanto tempo a publicação, das mais diversas ordens, e os quais esperamos que não se repitam.

Mas, o principal fator que nos leva a crer nesta edição como algo realmente diferente foi a elaboração da Reportagem de Capa. A confecção de tal texto é fruto de um amadurecimento dentro da revista, sendo que passamos a defender abertamente algo tão criticado na historiografia, a História do Tempo Presente. Se antes esta metodologia merecia "apenas" um texto por edição, desta vez a colocamos na Capa.

Escrever tal texto, apesar do que pode aparentar de fora, foi algo muito complicado. Desde levantar o histórico do conflito até reunir dados e leituras suficientes para conseguir escrever um texto crítico e coerente, tivemos que garimpar muito material e discutir bastante. Torcemos para que a leitura de tal texto seja do interesse de nosso visitante, e que possa instigar questionamentos e pensamentos a respeito de tais assuntos. Não desejamos que abracem cegamente nossas idéias, mas somente que as compreendam e as discutam. Diálogo é um artigo fora de moda atualmente.

Por fim, agradecemos às colaborações de três pessoas que ainda não tinham contribuído para a Revista, mas que fizeram isto com muita qualidade, mantendo a nossa proposta de sempre publicar textos de pessoas fora do núcleo central, com as mais diversas temáticas. Julia Galli O'Donnell, Renata Pedroso Araujo e Tobias Vilhenas de Moraes, Klepsidra agradece sua contribuição e seu apoio.

Gabriel Passetti, março de 2002

 
 
 

Reportagem de Capa/História do Tempo Presente

Em uma reportagem especial, três integrantes da revista (Carlos Ignacio Pinto, Danilo José Figueiredo e Gabriel Passetti) trabalham com a questão dos atentados de 11 de Setembro como um marco para a História do Tempo Presente.

Leia o contexto mundial e o contexto islâmico pré-atentados, relembre dos fatos propriamente ditos, veja a questão de bem contra mal, o medo da guerra biológica, a visão da imprensa brasileira, a política externa suicida de Bush e sua visão "Far West" de Bin Laden, a batalha entre as Jihads Muçulmana e Americana, a possível união do Bloco Islâmico e, por fim, divirta-se com tudo o que circulou na internet sobre este período. CLIQUE AQUI

História do Brasil

Aspectos da fase sanatorial em São José dos Campos (1930-1950)
(...) Desta forma ao lado da busca improvável da cura do corpo as Pequenas Missionárias procuram levar aos enfermos – provenientes principalmente de cidades paulistas e do Rio de Janeiro- o ‘consolo e a ‘paz’ das palavras de Cristo. A sede de evangelização dos enfermos seria então o motor que impulsionava o trabalho delas. " Diante de um mal desconhecido, o terror é imenso. O único recurso é o sobrenatural", bem lembra Duby (...)
Ser mãe na Colônia: a condição da mulher sob o aspecto da maternidade irregular (Séc. XVII-XVIII)
A história da maternidade resultante da sedução de mulheres sós, de estupros e de relações sexuais pré-matrimoniais seguidas seguidas de fuga de noivo, sendo essas mulheres transformassem mães solteiras, é um ponto importante para a compreensão da condição da mulher no campo materno. As frustrações, a humilhação advinda do abandono do companheiro, as angustias da gestação terminavam por constituir uma boa oportunidade para que a Igreja pudesse vender a idéia das vantagens do casamento. E muitas dessas mulheres correspondiam ao desejo do matrimônio, pois este era considerado como sinônimo de sonhada segurança e estabilidade econômica e moral.

Teoria da História

O pensamento hegeliano
Hegel promove a aproximação da filosofia com a História não no intuito de abordá-la através de conceitos ou concepções pré estabelecidas, mas na medida em que questiona a compreensão inerte que se tem da História em sua contemporânedade "...trata-a (a Filosofia com relação a História) como um material, não a deixa como a é, mas organiza-a segundo o pensamento, constrói a priori uma História."

História do Tempo Presente
Milosevic: um certo ponto de vista
(...) Slobodan Milosevic é, com certeza, um monstro do gabarito de um Hitler, apenas com um currículo menos recheado de atrocidades. No entanto, assim como o outro, não é o único. A História, ao longo dos séculos, está cheia de justificativas para o certo e o errado, o que é certo para uns, se praticado por outros é errado (...). Mas será que George W. Bush será condenado por bombardear hospitais e escolas no Afeganistão à procura de supostas bases militares escondidas, tudo isso por medo de enviar seus soldados por terra e, perdendo Americanos, cair na cotação da opinião pública? (...)

Resenhas

BURKE, Peter: "A escrita da História"
O livro "A Escrita da História", de Peter Burke, publicado originalmente em 1991, discute as mudanças ocorridas na historiografia a partir do surgimento da corrente chamada Nova História. Para isso, vários novos temas da história, entre eles, a história das mulheres, o renascimento da narrativa, a história oral etc., merecem capítulos especiais. Os modos de escrever a História são o ponto central da obra.

O autor, tentando definir a História Nova, observa que a mesma se originou associada à Escola de Annales e que, além de lutar por uma história total, opõe-se totalmente ao paradigma tradicional da historiografia. (...)

MAXWELL, Kenneth: "A Devassa da Devassa"
"Delinear a ampla interação de Brasil e Portugal na segunda metade do século XVIII" (MAXWELL, p. 13) é, segundo Kenneth Maxwell, o objeto do seu "A Devassa da Devassa – A Inconfidência Mineira: Brasil e Portugal 1750 – 1808". 

Lançado em 1973 na Inglaterra - país natal do autor - com o título original de "Conflicts and Conspiracies: Brasil & Portugal 1750 – 1808", o livro chega aos 500 anos do Brasil na sua terceira edição, e com o status de leitura obrigatória sobre o período.

Resultado de uma minuciosa pesquisa, que se faz presente na constante exposição de dados quantitativos, "A devassa da devassa" em nenhum momento corre o risco de ser mais um livro sobre a Inconfidência Mineira.

Notícias Históricas
24/Jun - Sessão em homenagem ao Centenário do Escritor e Professor Sérgio Buarque de Hollanda
16/Jun - Cabul será reconstruída por arquiteto Brasileiro 16/Jun - Israel erguerá muro para separar-se dos Palestinos
16/Jun - O retorno da Al Qaeda
Leia e Assine nosso
Livro de Visitas
Receba informativos grátis no seu e-mail:
Procure textos a partir da nossa
Busca por Palavras-Chave
teste