Darth Vader: a Realidade e a Fé em Star Wars

Parte 2/4

<- Voltar
 

3 – A História de Star Wars:

Neste item do trabalho colocarei o leitor a par da História da saga que George Lucas contou e ainda conta no cinema, bem como de algumas das partes mais importantes da História do Universo de Star Wars.


Mapa da galáxia de Star Wars


3.1 – A Velha República:

Cerca de 10 mil anos antes da época em que se ambienta o episódio I, a velocidade da luz foi descoberta pelos humanos, habitantes de um planeta chamado Coruscant. Este planeta se havia unificado em uma só nação sob o controle de um Supremo Chanceler assistido por um Senado; um governo nos moldes daquele aplicado na Roma Republicana.

Estes humanos começaram a se expandir pela galáxia de forma pacífica, levando conhecimento e civilização para as regiões mais remotas e para os planetas mais distantes. Nesse processo, começou a ser aperfeiçoado o conhecimento de uma espécie de religião seguida pelos habitantes daquele planeta: a Força.

A Força seria um campo de energia proveniente de todas as coisas vivas e responsável pela manutenção da existência da Galáxia.
 

Aprender a controlar a Força poderia ser algo extremamente vantajoso para a liga de planetas que estava se formando com a expansão humana e, dessa forma, começa a surgir a Ordem dos Cavaleiros Jedi; homens com um dom inato para perceber a Força nas coisas e ao seu redor, que recebem treinamento desde crianças para não serem corrompidos pelo poder que têm nas mãos e, dessa forma, ajudarem na manutenção da ordem e da paz.

Com o passar dos anos, começam a haver as primeiras dissensões dentro do Conselho Jedi. Alguns passam a defender uma posição mais efetiva daqueles cavaleiros frente à política galática. A maioria dos Jedi é contra tal posição e isso provoca um racha dentro da Ordem. Cavaleiros e Mestres (a Ordem era dividida em três níveis hierárquicos: Aprendizes, ou Padawans; Cavaleiros e Mestres) corrompidos pelos poderes que têm sucumbem à sede de poder e, derrotados, abandonam Coruscant indo se isolar em áreas ainda desconhecidas da galáxia.


Mace Windu, membro
do Conselho Jedi

3.1.1 – O Império Sith:

Os Jedi que se deixaram corromper fizeram com que os demais percebessem que a Força também possuía duas faces, ou seja, se por um lado ela poderia ser a responsável pela manutenção da ordem na galáxia, por outro, guardava dentro de seu âmago o potencial para destruí-la. Esse potencial destrutivo e corruptor da Força foi então batizado como: o Lado Negro da Força.
 

Os Jedi corrompidos, ou do Lado Negro, como passaram a ser chamados, chegaram, depois de meses de viagem, a um planeta habitado por uma raça humanóide chamada Sith.

Devido a seus grandes poderes, os Jedi corrompidos se fizeram de deuses para essa raça e, em pouco tempo, tornaram-se seus governantes, criando uma espécie de Ordem Jedi do Lado Negro. Essa Ordem também buscava manter a ordem, mas através de ações diretas, o que fazia com que seus membros inevitavelmente se corrompessem, pois, como diz o ditado, "o poder corrompe, e o poder absoluto corrompe de uma forma absoluta".

Os mais capazes dentre os Sith tornaram-se alunos dos ex-Jedi em sua nova Academia, os demais foram relegados à escravidão àqueles que eles consideravam deuses.


Darth Maul, personagem de
Episódio 1 - A Ameaça Fantasma

Quase um milênio se passou até que a expansão da República Galática (liga de planetas e raças formada pela expansão dos humanos de Coruscant) encontrasse o Império Sith. O sistema de governo Imperial funcionava da seguinte forma: o mais poderoso entre os Jedi do Lado Negro, intitulado "O Lorde Negro de Sith" governava o Império e os demais o assessoravam de acordo com sua graduação na Ordem. Quando alguém se achava apto a suceder o Lorde Negro, este alguém o desafiava para um duelo de vida ou morte e, caso vencesse, adquiria o posto do vencido.

A descoberta de um Império inteiro devotado ao culto da faceta maligna da Força fez com que os Jedi temessem pelo fim da ordem estabelecida e, sendo assim, se engajassem na primeira guerra de sua História pacífica até então.

Inicialmente, os Jedi caídos levaram a melhor na disputa. No entanto, o assassinato do Lorde Negro de Sith fez com que a política Imperial se desestabilizasse e a guerra que parecia ganha (apesar da diferença tecnológica, uma vez que depois da separação dos Jedi, a República Galática, muito mais organizada e com muito mais contingente populacional, evoluiu muito mais rápido do que um Império Teocrático que controlava um povo originalmente atrasado) acabasse perdida.

O Senado da República julgou que toda a raça dos Sith estava entregue ao Lado Negro e, sendo assim, ordenou seu extermínio, juntamente com o de todos os Jedi do Lado Negro.

Assim ocorreu, porém, Darth Bane (Darth é o equivalente a Cavaleiro na Ordem dos Jedi caídos, Ordem que, depois das guerras Sith, passou a ser conhecida com o nome de Ordem Sith), escapou do extermínio juntamente com Massassi, seu aprendiz (cada Jedi só poderia ter um único aprendiz por vez e esta filosofia continuou sendo seguida pelos Sith). Eles foram parar em outra região herma da galáxia: a quarta lua do planeta Yavin.

Neste astro repleto de florestas, Darth Bane reergueu a Ordem Sith. Porém, corrigindo os erros do passado, ou seja, se a Ordem havia caído devido à sede de poder de aprendizes ainda não prontos somada à competitividade de muitas mentes corrompidas juntas. Então, nesta nova ordem só poderia haver dois membros de cada vez: um Mestre e um Aprendiz.

3.2 – O Período das transformações:

Depois da derrota dos Sith, ficou claro que algo faltava à Força: equilíbrio. Muitos foram contra o extermínio maciço de uma raça inteira só por que seus governantes eram malignos. Esse descontentamento aliado a visões incertas do futuro deu origem a profecias malucas de que um dia um Jedi viria e traria o tão sonhado equilíbrio para a Força. É neste cenário que se inicia a saga retratada no cinema.

A leitura dos três sub-itens subseqüentes é dispensável àqueles que conheçam bem a série, pois trata-se de um resumo dos dois primeiros filmes e de uma prévia do terceiro.
 
 

3.2.1 – A Ameaça Fantasma:

A ordem na República está abalada pela Federação de Comércio, uma mega corporação comercial responsável pela comercialização de produtos dentro da República. De tão grande e poderosa, a Federação de Comércio chega a parecer um Planeta, tanto que tem representação no Senado Galático.

Pois bem, a Federação de Comércio iniciou um embargo com naves de guerra a um pequeno Planeta chamado Naboo. Esse embargo foi devido ao fato de Naboo se recusar a pagar algumas taxas que considerava abusivas. Apesar da maioria dos Senadores ser contra o embargo, o lobby da Federação fez com que houvesse demora nas votações. Dois Jedi são enviados para resolver o problema: um Mestre, de nome Qui-Gon Jinn e seu Padawan, de nome Obi-Wan Kenobi.

Os Jedi descobrem, no entanto, que há uma clara tentativa de obrigar a Rainha do Planeta a assinar um tratado nos termos da Federação de Comércio. O que é inaceitável, do ponto de vista democrático. A Rainha, então, foge, escoltada pelos dois Jedi, mas sua nave, com problemas de propulsão, é forçada a parar no distante Planeta de Tatooine, onde o Mestre Qui-Gon Jinn encontra um garoto, de nome Anakin Skywalker, um escravo, que ele acredita ser o tão esperado homem que traria equilíbrio à Força.

Em meio aos acontecimentos conturbados, os Jedi se encontram com Darth Maul, o aprendiz Sith de Darth Sidious, homem cuja identidade verdadeira é um mistério, mas que parece estar por trás das ações da Federação de Comércio.

Finalmente a delegação chega a Coruscant e cada um toma seu rumo: a Rainha vai ao Senado onde, com a ajuda de Palpatine, Senador por Naboo, tenta, em vão forçar a votação da ilegalidade do bloqueio contra seu Planeta. Enquanto os Jedi vão ao conselho mostrar o garoto que é supostamente o "escolhido".

Fracassando em obter a votação, a Rainha Amidala propõe a cassação do Supremo Chanceler Finis Valorum o que gera uma eleição para a escolha do novo Supremo Chanceler, eleição da qual sai vitorioso o próprio Senador Palpatine, mas a Monarca não está mais disposta a esperar por uma solução diplomática da crise em seu Planeta. Por isso, parte disposta a morrer por seu povo.

No Conselho Jedi Anakin Skywalker é declarado velho demais (apesar de só ter nove anos) para iniciar os treinamentos, mesmo assim, Qui-Gon Jinn diz que fará o garoto observar atentamente seus movimentos para que aprenda alguma coisa.

Todos voltam a Naboo onde ocorre a batalha final entre os exércitos da Federação de Comércio e o dos Gungans (uma raça que foi muito criticada por ser acusada de se tratar de um achincalho com a imagem dos negros da Jamaica). No final, Darth Maul morre, não sem antes, contudo, matar o Mestre de Obi-Wan Kenobi. Este último é sagrado Cavaleiro Jedi e diz que treinará Anakin Skywalker pois este era o último desejo de seu Mestre.

O mistério sobre quem era o Sith de nome Darth Maul fica no ar com sua morte e o Conselho Jedi desconhece a existência de Darth Sidious, que parece ser uma importante figura na política galática.

3.2.2 – O Ataque dos Clones:
 

Dez anos se passaram desde a batalha de Naboo. Amidala agora não é mais Rainha, mas Senadora por seu Planeta. Depois de um atentado frustrado contra sua vida seu destino acaba se cruzando novamente com o de Anakin Skywalker, agora um adolescente problemático, perturbado com a saudade que sente da mãe e o conflito de poder que lhe toma a mente (Anakin está se tornando o mais poderoso dos Jedi, como dizem as profecias, mas junto com seus poderes cresce também sua rebeldia, afinal, não vê porque deve obedecer Obi-Wan, já que ele é menos poderoso do que o próprio Anakin pode vir a ser).
Robôs da Federação de Comércio

Além dos conflitos normais da cabeça de um adolescente, ou seja, necessidade de reconhecimento, medo, desejos, Anakin encontra agora o amor. Amor este que surgira dez anos antes, quando ele era apenas uma criança, mas que agora desabrocha no reencontro com sua amada, a antiga Rainha de Naboo.

O filme se divide em duas partes principais que se unem mais tarde: por um lado, Anakin deve proteger Amídala, em Naboo, de outros atentados patrocinados por membros da Federação de Comércio que, depois da derrota em Naboo, entrou em decadência política e financeira. Por outro, Obi-Wan vai investigar a origem dos atentados, que remonta a um planeta desconhecido, cuja existência havia sido apagada dos arquivos da República: o Planeta de Kamino.

Paralelamente à trama, que envolve o romance entre Anakin e sua protegida, corre um movimento separatista dentro da República, movimento este liderado pelo Conde Dooku (que na tradução do nome para o português tornou-se Dokaan, para evitar piadas). O Chanceler Palpatine queria que os Jedi o ajudassem a resolver a questão dos separatistas, mas estes se negaram alegando que são apenas os guardiões da paz, não soldados. Alegação baseada nas lembranças das Guerras Sith.

Na tentativa de descobrir a origem dos atentados, Obi-Wan descobre que em Kamino estava sendo desenvolvido, a pedido de um Mestre Jedi já falecido, denominado Sifo Dias (cuja tradução, também para evitar piadas, tornou Zifo Vias), um exército de clones para a República. Os Kaminoanos pensam que Obi-Wan havia ido ao Planeta para requerer os clones e, sendo assim, contam-lhe todo o processo; inclusive que os clones tinham como original um caçador de recompensas chamado Jango Fett. Obi-Wan descobre que o tal Jango Fett (que pedira como parte de seu pagamento pela doação de seu tecido um clone sem modificações genéticas nem crescimento acelerado, a quem ele trataria como filho e cujo nome seria Bobba Fett) era o autor do atentado contra Amidala e, sendo assim, persegue-o até um Planeta chamado Geonosis.

Em Geonosis, Obi-Wan descobre a base central do comitê separatista da República, mas quando tenta avisar os outros Jedi, é capturado pelo Conde Dooku.

Enquanto isso, Anakin resolve investigar o paradeiro de sua mãe e descobre que ela havia se casado com um fazendeiro, mas que havia sido capturada pelos Tusken Raiders, um povo que vive nas areias de Tatooine. Indo atrás da mãe ele a encontra apenas para vê-la morrer em seus braços. A raiva o toma e ele faz justiça com as próprias mãos (destrói toda a aldeia de Tusken Raiders), contrariando o Código Jedi, que prega altivez e ponderação em todas as ocasiões.

R2-D2, o pequeno robô de Amidala intercepta a mensagem de Obi-Wan e vai avisar Anakin. Este envia a mensagem ao Conselho Jedi, mas contrariando-o, vai tentar resgatar o Mestre. O que se vê então é uma imensa batalha de Jedi contra robôs de guerra. Estes venceriam a pendenga se não fosse a intervenção providencial do exército de clones sob o comando de Mestre Yoda, o mais poderoso de todos os Jedi.

Anakin e Obi-Wan confrontam Dooku, mas a inconseqüência do jovem Jedi faz com que ele perca a mão e com que ele e o Mestre sejam derrotados. Yoda, no entanto, surge para salva-los da morte, mas Dooku (cujo nome Sith é Darth Tyranus) foge para se encontrar com seu Mestre, o mesmo Darth Sidious que era mestre de Darth Maul.

A guerra, intitulada Guerra dos Clones, vem para provar que os Jedi não são tão invencíveis quanto se julgava e para que Palpatine consiga poderes de Ditador (semelhantes aos concedidos aos Cônsules Romanos em épocas de crises agudas) do Senado, além de conseguir formar um exército para a República: o exército dos clones.

Na batalha de Geonosis, o exército dos clones sai vitorioso e a Federação de Comércio, cujas tropas de andróides eram a base do exército separatista, é mais uma vez esmagada, Jango Fett é morto pelo Mestre Jedi Mace Windu, o porta-voz do conselho Jedi e Bobba Fett fica com seu elmo e sua armadura; o que o faz jurar vingança contra os Jedi que mataram aquele que, para ele, era seu pai (apesar de geneticamente ser apenas seu irmão).

No final, Anakin e Amidala se casam secretamente em Naboo.

3.2.3 – A Transformação:

Este é o único episódio da série que ainda não está feito. É de longe o mais importante do ponto de vista da confluência das Histórias das duas trilogias, visto que é nele que as coisas terminam de se ajustar para ficarem como serão nos episódios IV, V e VI. Nem mesmo o nome deste episódio é sabido, porém, alguns pontos de sua História já são conhecidos há muito pelos fãs da série.

Será neste filme que a identidade de Darth Sidious será revelada e o óbvio será descoberto: ele é justamente Palpatine, aquele que nos dois filmes anteriores parecia ser o mais bondoso dos homens da República.

Provavelmente Dooku morrerá nas mãos de Anakin, que buscará vingança pela perda de sua mão. O assassinato de Dooku será a gota d’água para que Anakin seja dominado por seus sentimentos ruins e se veja como invencível, sucumbindo assim ao Lado Negro.

Amidala deverá iniciar o filme grávida de gêmeos, crianças que nascerão no final da trama, momento que deve coincidir com a morte da mãe.

Depois de sucumbir ao Lado Negro, Anakin deve ser manipulado por Darth Sidious para derrotar Obi-Wan, visto que este sempre tentou, inutilmente, conter os poderes do aprendiz. A luta entre Anakin e Obi-Wan é um dos momentos mais esperados pelos fãs de Star Wars em todo o mundo e deve, com certeza, ser o clímax do filme. Este duelo será vencido pelo Mestre e, depois dele, Anakin nunca mais será o mesmo. 
Inicialmente tido como morto, o jovem será salvo por Darth Sidious, mas não poderá mais viver sem uma armadura confeccionada para dar-lhe suporte vital. Dessa forma, nascerá Darth Vader.

Guiado pelo ódio de seu coração e pela mão de seu Mestre Sith, Darth Vader iniciará o extermínio dos Jedi, Ordem que para ele se tornara apática demais para manter a ordem na Galáxia. Depois disso, fornecerá o apoio logístico necessário para que Palpatine se torne Imperador, dessa forma, perpetuando os poderes temporários de Ditador que adquirira no final do episódio II. Palpatine continuará mantendo seu disfarce de homem da política, mas terá em Vader o aliado perfeito. Destruidor, mas contido e totalmente leal.

3.3 – O Império:

Desde a destruição do Império Sith, os Sith remanescentes sonhavam com a vingança contra a República e, sobretudo, contra os Jedi. Depois dos eventos ocorridos no episódio III, que encerram um longo planejamento do mais engenhoso de todos os Sith, Darth Sidious, os Jedi foram finalmente erradicados (apenas uns poucos conseguiram fugir e se esconder em regiões remotas da Galáxia, ou seja, não representam perigo) e a República tomada. Estabelece-se então, uma nova era: o Império.

Assim como nos sub-itens 3.2.1, 3.2.2 e 3.2.3, a leitura dos quatro sub-itens subseqüentes é dispensável para aqueles que conheçam bem a série original e um pouco do Universo expandido de Star Wars.

3.3.1 – Uma Nova Esperança:

O filme inicia-se com Leia Organa, Senadora do Império sendo capturada pela frota Imperial chefiada por Darth Vader. Ela é acusada de colaborar com a Aliança Rebelde e de estar portando planos bélicos que seriam úteis aos inimigos do Imperador.

Ao chegar à Estrela da Morte, estação bélica suprema do Império, arma capaz de destruir completamente um Planeta com um só disparo, a Princesa de Alderaan diz-se ultrajada por sua prisão, afinal, ela é uma Senadora, mas fica sabendo que o Imperador acabara de dissolver o Senado.

Antes, porém, de ser capturada, Leia despacha o mesmo R2-D2 que pertencera a Amidala para Tatooine, em busca de Obi-Wan Kenobi, um antigo Jedi, amigo de Bail Organa, seu pai adotivo. O robô contém os planos da Estrela da Morte que devem ser entregues em segurança a Bail Organa em Alderaan.

Paralelamente, vê-se a História de Luke Skywalker, rapaz que ficara órfão ao nascer e que fora entregue para os tios Owen e Beru Lars para que estes o criassem. Luke sonha em ir para a academia de pilotos da Aliança Rebelde, mas seu tio o impede por algum motivo que ele desconhece.

Luke e o tio acabam comprando R2-D2 e seu fiel companheiro C-3PO de contrabandistas Jawas (outro povo dos desertos de Tatooine) que os haviam capturado no meio de seu percurso em busca de Obi-Wan Kenobi.

R2-D2 foge de Luke rumo à casa de Obi-Wan Kenobi, que, com cerca de sessenta anos, é conhecido por todos como "O Velho Ben", "O Eremita Louco", "O Velho Bruxo", entre outros nomes.
 

Obi-Wan Kenobi e Luke Skywalker
Luke acaba emboscado pelos Tusken Raiders e só não é morto porque Obi-Wan o salva. O Jedi conta-lhe um pouco da História recente da Galáxia e lhe dá o sabre de luz que fora de Anakin. Obi-Wan diz que Anakin foi traído e morto por Darth Vader e convida Luke para ir com ele a Alderaan, aprender a ser um Jedi. O jovem nega por respeito ao tio, mas retornando a casa, descobre que os soldados do Império estiveram por lá a procura dos dois robôs e que, não os tendo encontrado, destruíram a casa e mataram seus proprietários, no caso, os tios de Luke.

Sem mais nada que o prendesse a Tatooine, Luke resolve seguir o Mestre Jedi e inicia seu treinamento.

Como parte da tortura de Leia, Moff Tarkin, o comandante da Estrela da Morte, destrói Alderaan, Planeta onde estava Bail Organa e de onde Leia era Princesa.

Sem ter onde entregar os robôs, Obi-Wan e Luke, agora escoltados por Han Solo e Chewie acabam encontrando a Estrela da Morte e nela entrando com o objetivo de resgatar Leia. No processo, Obi-Wan reencontra Darth Vader e no confronto, morre.

Ao ver seu Mestre morrer, Luke passa a odiar instantaneamente Darth Vader, o que lhe aproxima do Lado Negro da Força. O filme torna-se uma corrida contra o tempo para que o grupo, agora com Leia no lugar de Obi-Wan, consiga chegar até Yavin IV (a mesma lua onde num passado muito distante Darth Bane havia se refugiado com seu aprendiz Massassi) e entregar os planos da Estrela da Morte antes que esta destrua o Planeta.

Ocorre uma batalha final, chamada de batalha de Yavin, onde um pequeno grupo de caças da Aliança Rebelde confronta a nata da aviação de guerra do Império e, mesmo sendo esmagado, consegue o impensável: destrói a Estrela da Morte graças ao fato de Luke ter conseguido "ouvir" os conselhos da Força.

Darth Vader é o único sobrevivente dentre os Imperiais que estavam na batalha e, além de sobreviver, percebe que Luke, seu filho, estava na batalha.

3.3.2 – O Império Contra-Ataca:

Reerguido da derrota na batalha de Yavin, o Império destrói o que restou da base Rebelde naquele Planeta e parte em busca da nova localização da Aliança Rebelde.

A base é por fim encontrada no gélido Planeta de Hoth. Lá, dá-se aquela que é talvez a mais emocionante dentre todas as batalhas da série Star Wars, a batalha de Hoth, vencida pelo Império.

Os Rebeldes são quase que totalmente exterminados. Apenas uns poucos conseguem fugir. Dentre eles estava a Princesa Leia, Luke, Han Solo, Chewie e os robôs.

Luke, ao invés de ir se reagrupar com os Rebeldes, segue o conselho do espírito de Obi-Wan e vai a um distante Planeta num sistema chamado Dagobah. Lá, depois de sofrer um acidente com sua nave, ele encontra uma criatura estranha a quem pergunta sobre Mestre Yoda. A criatura, até então caricata, se mostra o próprio Mestre Yoda. O mais rígido, antigo, poderoso e famoso Mestre Jedi da velha Ordem. A pedido do espírito de Obi-Wan, Yoda aceita treinar Luke, a despeito de sua idade, mas com a condição de que ele não se vá antes de completar o treinamento.

Luke, contudo, tem uma visão de que Leia, Han e companhia estão em perigo no lugar em que resolveram ir: a Cidade das Nuvens, no Planeta Bespin.

Nesta cidade, administrada por Lando Calrissian, o Império armou uma emboscada para os Rebeldes. O Imperador havia alertado Vader de que se ele capturasse os amigos de Luke, que estariam em Bespin, conforme o Caçador de Recompensas Bobba Fett havia informado, Luke viria até ele. Obedecendo os desígnios de seu Mestre, Darth Vader foi a Bespin e congelou Han Solo em Carbonite para que ele fosse entregue a Bobba Fett, que o levaria até Jabba, the Hutt, seu credor.

Destróier espacial do Império
Luke, contrariando Yoda e sua promessa, abandona os treinamentos e vai até Bespin confrontar Vader. Porém, ele não está preparado e quase é seduzido pelo Lado Negro da Força.
 
O artifício que Vader utiliza para convence-lo é o amor, pois o vilão conta ao rapaz que, na verdade, ele e Anakin Skywalker são a mesma pessoa, sendo assim, Darth Vader é pai de Luke Skywalker.

No duelo entre pai em filho, Luke perde a mão e, ao invés de se render, prefere arriscar a própria vida deixando-se cair numa saída de lixo.

No final Luke é salvo por Leia e Lando Calrissian e fica sem saber se Vader lhe disse ou não a verdade.


Chewbacca, Léia, C3PO, Luke e Han Solo

3.3.3 – Sombras do Império:

Este é com certeza o melhor dos livros de todo o Universo expandido de Star Wars. Justamente por isso achei interessante incluir algo sobre ele neste trabalho. Apesar de originalmente a cronologia não incluí-lo, ele foi tão bem escrito que emendou todos os fatos nebulosos que deveriam ter ocorrido entre os episódios V e VI de Star Wars.

Neste livro Luke faz seu próprio sabre de luz, uma vez que no final do episódio V ele perde aquele que fora de seu pai e no início do episódio VI ele já tem um novo.

Também neste livro explica-se como os Rebeldes conseguiram os planos da segunda Estrela da Morte, planos esses que no início do episódio VI eles já detém.

Por fim, este livro serve ao leitor e, sobretudo ao fã, para saber pequenos detalhes interessantes sobre a saga, por exemplo, o verdadeiro poder de fogo de um detonador termal; como Leia conseguiu a armadura que veste no início do episódio VI; além de conhecer um pouco mais sobre Coruscant.

No tocante a este trabalho, o interessante de Sombras do Império está no fato de que neste livro se pode ter uma idéia mais exata do que nos filmes da personalidade de cada um dos personagens, em especial de Darth Vader. Eu chegaria a dizer que, além de ter inspirado George Lucas a dar o nome ao Planeta Capital da Galáxia (uma vez que o nome Coruscant apareceu pela primeira vez neste livro), Sombras do Império também deve ter mudado um pouco a visão do próprio Lucas sobre Darth Vader, o que, com certeza ajudou-o a elaborar os episódios I, II e III.

Em Sombras do Império Darth Vader mostra os resquícios da humanidade que irá resgatar no episódio VI, mostra-se um vilão frio, é verdade, mas, sobretudo, um homem em conflito. Ao mesmo tempo em que almeja o poder absoluto, não tem certeza se o que faz é correto, se servir o Imperador foi a decisão mais sábia que tomou, ou mesmo se valeria a pena matar seu filho pela causa do Império. Em outras palavras, mais adiante, neste mesmo texto, a personalidade de Vader retratada em Sombras do Império será útil para esclarecer a tese central do trabalho.

Quanto ao Imperador, aqui ele é mostrado realmente a fundo, nos filmes, talvez devido à falta de tempo para detalhes, ele sempre foi relegado (desde os tempos de Senador Palpatine) a um papel coadjuvante na História. Porém em Sombras do Império pode-se ver sua personalidade pequena e sedenta de poder. Aqui ele chega ao cúmulo de provocar a morte "acidental" de seu jardineiro particular só para não ter que vê-lo trabalhando nos jardins de Xizor, um importante Gangster de Coruscant. Palpatine é um homem cheio de si por sua maldade, sua sabedoria e seu imenso poder. Julga-se invencível, tão invencível quanto os homens do início do século XX julgavam o Titanic insubmergível.

Já Vader é triste, nunca sorri e nas poucas vezes em que o faz logo interrompe o processo devido à dor. É ainda atormentado pois deseja seu corpo de volta como era, deseja poder se livrar da armadura que é obrigado a carregar para viver, deseja encontrar um oponente à sua altura... ou seja, é o retrato do ser humano: cheio de faltas e com poucas realizações, pois mesmo o fato de ter a Galáxia a seus pés não lhe parece o suficiente.

3.3.4 – O Retorno de Jedi:

Neste filme, o último na cronologia da saga, Luke está quase pronto em seu treinamento, mas também está perigosamente próximo de se tornar um reflexo daquilo que seu pai fora antes dele, ou seja, um Jedi promissor que se deixou seduzir pelo Lado Negro.

No início, depois de um plano elaborado e executado pelos poderes de Luke. Ele, Leia, Chewie e Lando salvam Han Solo das garras de Jabba, the Hutt. Depois, enquanto os todos seguem para Endor, a lua floresta onde está sendo construída a nova Estrela da Morte do Império, Luke segue para Dagobah, onde pretende terminar seu treinamento e se tornar um Cavaleiro Jedi.

Lá Yoda confirma a História de que Vader é realmente seu pai, mas também o alerta para o fato de que seus sentimentos por Vader podem leva-lo a sucumbir diante do Imperador, afinal o amor e o ódio caminham juntos e, dessa forma, o Lado Negro está tão perto de quem ama como de quem odeia, de quem se preocupa, como de quem tem ciúmes...

Yoda finalmente morre (de velhice, afinal já tem mais de novecentos anos de idade) e diz a Luke que a partir daquele instante ele será o último dos Jedi, mas que para seu treinamento completar ele deverá enfrentar Darth Vader e o Imperador.

Luke parte então para integrar o grupo que está indo para Endor. Lá, ademais de serem capturados por pequenos ursinhos fofinhos chamados Ewoks, os Rebeldes pretendem explodir o gerador de escudo que protege a Estrela da Morte para que a frota Rebelde, num ataque maciço, consiga destruir a estação bélica e, junto com ela, o Imperador, que a está visitando.

Enquanto no espaço se desenvolvem estratagemas particulares da guerra que culminará na batalha de Endor, na lua propriamente dita, Luke se entrega voluntariamente a Darth Vader na esperança de, com seus argumentos, convencer o pai a juntar-se a ele contra o Imperador.

Darth Vader diz que não há mais esperança para ele, que já está totalmente tomado pelo Lado Negro... hesita, mas acaba não dizendo o que tem realmente vontade, ou seja: "Mas para você há esperança, por isso, fuja enquanto é tempo!".

Luke é levado para a Estrela da Morte onde finalmente é apresentado ao Imperador. Este tenta despertar nele os piores sentimentos que existem em uma pessoa. Fica persuadindo-o a ataca-lo, mesmo estando ele desarmado, mas no final acaba desistindo ao ver que Luke conseguira se controlar ao invés de liberar suas emoções.

Vendo que não pode trazer Luke para o Lado Negro, o Imperador decide mata-lo e começa a desferir sobre ele todo o seu poder.

Vader, que agoniza no chão, sem sua mão mecânica, amputada por Luke na luta que acabara de perder, percebe então que tudo o que fizera em nome de um ideal fora em vão. Que o Imperador só o utilizara como instrumento para obter poder pessoal, nenhuma honra, nenhuma glória, nenhuma justiça. Vader então levanta-se e, enquanto o Imperador está distraído terminando de trucidar com Luke, agarra seu Mestre e atira-o no reator da Estrela da Morte.
 


Imperador tortura Luke Skywalker antes
de ser morto por Darth Vader
A morte do Imperador juntamente com a descarga de energia que sofrera por agarra-lo faz com que Vader não tenha mais muito tempo de vida, apenas alguns momentos. Momentos estes em que aproveita para olhar para seu filho com seus próprios olhos, ao menos uma única vez na vida. Com isso Vader cumpre a profecia de trazer equilíbrio à Força, pois visto que o equilíbrio só é possível através da neutralidade e esta, em se tratando de bem e mal, só pode ser alcançada por alguém que, uma vez mergulhado nas trevas tenha forças para se reerguer e destruir a ordem estabelecida criando então uma nova ordem; uma ordem neutra que será trazida por alguém que teve seu treinamento orientado tanto para o bem (por Obi-Wan e Yoda), quanto para o mal (por Darth Vader e Palpatine), ou seja: Luke Skywalker.

Na batalha que se desenrola, os Rebeldes vencem os descontrolados soldados Imperiais e destroem o maior pilar de sustentação do Império: seu grande exército.

3.4 – A Nova República:

Todas as Histórias ambientadas na época da Nova República fazem parte do Universo expandido de Star Wars e, sendo assim, não são consideradas oficiais dentro da cronologia da série. No entanto, deve-se única e exclusivamente ressaltar que esta nova República tem como campeões Luke e Leia. Luke reorganiza a Ordem dos Jedi, mas o faz à sua maneira, sendo assim os Jedi não são mais submetidos a um treinamento nem a uma rotina tão massacrantes. Dessa forma ficam igualmente expostos ao Lado Negro e ao Lado da Luz e não tendem a nenhum dos dois.

No plano político, Leia recria o Senado e o cargo de Supremo Chanceler, mas agora, prestando mais atenção aos povos governados, a seus desejos e necessidades, impede que a República caia novamente nas mãos de forças extremistas, sejam elas bem ou mal intencionadas, afinal de contas, Bem e Mal são modos diferentes de se ver a verdade e esta, por sua vez, segundo dizeres de Obi-Wan Kenobi no episódio VI: "é apenas um certo ponto de vista".
 

Continuação ->